segunda-feira, 21 de agosto de 2017

As viagens são como as pessoas


«As viagens são como as pessoas, não há duas iguais.»
                                                              
John Steinbeck

sábado, 12 de agosto de 2017

😊👏

Sto arrivando...

sábado, 5 de agosto de 2017

Regresso a ti

Regresso sempre a ti, sempre que te penso
regresso ao lugar dos abraços inocentes
regresso ao calor das tardes de verão

e se por acaso não te encontrar
haverei sempre de te ler no coração da poesia.
...

São Gonçalves

terça-feira, 1 de agosto de 2017

💜


Quando te der saudade de mim
Quando tua garganta apertar
Basta dar um suspiro
Que eu vou ligeiro
Te consolar
...

segunda-feira, 31 de julho de 2017

O rio da minha aldeia

O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,
Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia.
...
O rio da minha aldeia não faz pensar em nada.
Quem está ao pé dele está só ao pé dele.


Alberto Caeiro

sábado, 29 de julho de 2017

A Correr, a vida passa.



Corre a gente decidida
Pra ter a vida que quer
Sem repararmos que a vida
Passa por nós a correr
Às vezes até esquecemos
Nessa louca correria
Por que motivo corremos
E para onde se corria

...

sexta-feira, 28 de julho de 2017

O passado fica, nós passamos

...
É isso o passado: o sentimento por trás da imagem,
a recordação colada à fotografia,
o aroma de uma despedida que ficou para sempre inconfessada.
...

José Jorge Letria

quinta-feira, 27 de julho de 2017

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Não se perdeu nenhuma coisa em mim

[...]
Trago o terror e trago a claridade,
E através de todas as presenças
Caminho para a única unidade.


Sophia de Mello Breyner Andresen

terça-feira, 25 de julho de 2017

Pedrógão Grande

Por mais que queiram ocultar/minimizar as consequências da tragédia, não há volta a dar: há danos que não têm reversão e que nos envergonham enquanto Estado de direito.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Céu|Baile de Ilusão


Música para a minha tarde.

Chuva de Poesia

E ao 3.º dia, no Festival Mimo, choveu poesia:-)

sábado, 22 de julho de 2017

De todas as palavras escolhi água

De todas as palavras escolhi água,
porque lágrima, chuva, porque mar
porque saliva, bátega, nascente

porque rio, porque sede, porque fonte.
De todas as palavras escolhi dar.
[...]

Rosa Lobato de Faria

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Sonhos especiais

"...há sonhos que são especiais porque nunca passarão de sonhos!!!..."

Ana Souto de Matos

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Da liberdade de expressão (ou da falta dela).

Já não há pachorra para tanta hipocrisia tacanha e mesquinha que pulula nas televisões, nos jornais, nas redes sociais, na política...Que eu saiba, (ainda) vivemos numa democracia, por isso, cada um é livre de exprimir a sua opinião, seja ela qual for, sem qualquer tipo de discriminação ou censura. A isso, meus caros, chama-se liberdade de expressão.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Sacode as nuvens

Sacode as nuvens que te poisam nos cabelos,
Sacode as aves que te levam o olhar.
Sacode os sonhos mais pesados do que as pedras.
...

Sophia de Mello Breyner Andresen

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Sign of the Times


[Estou "apaixonada" por esta música. Não me perguntem porquê, mas estou...:-]

Um bom livro

"Um bom livro é o que parece ter sido escrito para nós – é o que nos faz ser melhores do que fomos antes de o lermos."

terça-feira, 11 de julho de 2017

Desencontro


[A voz (ex Madredeus) a que gosto de voltar.]

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Estamos com'versados.

"Não sei se existe um sentido para a poesia. Talvez a poesia sirva para abrandar o ritmo frenético dos dias. Ou talvez seja apenas deitar tempo fora. Mas, enquanto eu tiver tempo, hei de continuar a gastá-lo mal gasto."

André Manuel Correia in Com'versados

domingo, 9 de julho de 2017

sexta-feira, 7 de julho de 2017

A saudade não cabe nas palavras

A saudade é como a poesia: não cabe nas palavras.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Thunder


Bem apropriada...

Caminhos gastos

...
Só os caminhos gastos
andam descalços
e escapam à eternidade
de um destino certo.

Emanuel Lomelino

terça-feira, 4 de julho de 2017

E tudo era possível

(...)

E tudo se passava numa outra vida
e havia para as coisas sempre uma saída
Quando foi isso? Eu próprio não o sei dizer

Só sei que tinha o poder duma criança
entre as coisas e mim havia vizinhança
e tudo era possível era só querer
Ruy Belo

domingo, 2 de julho de 2017

sábado, 1 de julho de 2017

Neste país, a culpa morre (sempre) solteira.

Morrem 64 pessoas num incêndio e, pelos vistos, ninguém teve culpa. Os incidentes com drones nos aeroportos sucedem-se e também ninguém tem culpa. Um arsenal de armas é roubado e a culpa também não é de ninguém. Como é costume, abrem-se inquéritos atrás de inquéritos, criam-se comissões de trabalho ditas  "independentes" e, claro, como também é costume, ficará tudo em "águas de bacalhau" e ninguém será culpado de nada. Vergonha.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

As coisas simples


Nunca são as coisas mais simples que aparecem
quando as esperamos. O que é mais simples,
como o amor, ou o mais evidente dos sorrisos, não se

encontra no curso previsível da vida.
...

Nuno Júdice

terça-feira, 20 de junho de 2017

Alexander Search|A Day of Sun


[Um pouco de Sol para iluminar a noite escura.]

domingo, 18 de junho de 2017

Pedrógão Grande, o Horror.

Vejo as imagens dantescas, a devastação, o número de vítimas mortais, e não consigo deixar de me perguntar: como foi isto possível??!!! Oiço os governantes máximos da Nação afirmarem perentoriamente que era impossível ter feito mais. Não sei, não sou perita na matéria, e acredito que os bombeiros tudo devem ter feito para valerem às populações, isso não ponho em causa. Ponho em causa, isso sim, o total laxismo dos sucessivos governos deste país que se demitiram das suas funções de cuidar, proteger e reordenar este bem precioso que são as florestas. Esses, sim, são os verdadeiros culpados desta tragédia para a qual não há palavras.

sábado, 17 de junho de 2017

Canícula

Sinto-me a derreter...

Existem séries...

... e existe ESTA SÉRIE!
Adoro! Adoro! Adoro!

quinta-feira, 15 de junho de 2017

domingo, 11 de junho de 2017

Dizer adeus.

Passem os anos que passar, não saberei nunca dizer(-te) adeus.

sábado, 10 de junho de 2017

Viagem

É o vento que me leva.
O vento lusitano. 

É este sopro humano
Universal
Que enfuna a inquietação de Portugal.
É esta fúria de loucura mansa
Que tudo alcança
Sem alcançar.
Que vai de céu em céu,
De mar em mar,
Até nunca chegar.
E esta tentação de me encontrar
Mais rico de amargura
Nas pausas da ventura
De me procurar...

Miguel Torga

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Reconvexo


[Música para a minha tarde.]

segunda-feira, 22 de maio de 2017

O dia começa melhor com um Abraço :-)


"Os abraços foram feitos para expressar o que as palavras deixam a desejar."

Anne Frank

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Nothing Else Matters


So close, no matter how far
Couldn't be much more from the heart
Forever trusting who we are
And nothing else matters
...

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Acalmia

Guardavas dos lugares
um sentido improvável. Tudo era

mais verdadeiro por
repentinamente
se assemelhar a um regresso.
[...]

Vasco Gato

sexta-feira, 12 de maio de 2017

A ausência do tempo

Sugestão para o fim de semana.




[Pra desenjoar de Fátima, do Festival da Eurovisão e do Futebol. Já não há pachorra!]

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Save Yourself


Tão bom...

Um dia a gente desperta

Um dia a gente desperta,
e a realidade não é a mesma
a casa da infância

já não é a nossa casa
os caminhos que pisamos
já não conhecem os nossos passos
um dia a gente desperta
a estante já não está no mesmo lugar
o retrato envelheceu
na poeira do tempo
o colo já não nos acolhe
a magia da inocência adormeceu.

São Gonçalves

terça-feira, 9 de maio de 2017

Way Down We Go


[And Way Down We Go...]

domingo, 7 de maio de 2017

Palavras para a Minha Mãe

...
lê isto: mãe, amo-te.

eu sei e tu sabes que poderei sempre fingir que não
escrevi estas palavras, sim, mãe, hei-de fingir que
não escrevi estas palavras, e tu hás-de fingir que não
as leste, somos assim, mãe, mas eu sei e tu sabes.


José Luís Peixoto

sábado, 6 de maio de 2017

Viver Pra Sempre


(Batida boa...Gosto:-)

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Tulipas








"Tulipa só é tulipa na Holanda. Uma única tulipa simplesmente não é. Precisa de campo aberto para ser."

Clarice Lispector

terça-feira, 25 de abril de 2017

domingo, 23 de abril de 2017

Só na infância somos verdadeiramente felizes.

Quando somos crianças, habitamos um tempo em que acreditamos que as pessoas e as coisas duram para sempre. É por isso que, só na infância, somos verdadeiramente felizes.

sábado, 22 de abril de 2017

Love Without Violins


A Janela do Tempo

Debrucei-me sobre a janela
Do meu tempo
Quis revisitá-lo
Pensei que talvez
A voz do vento
O acordasse
E me soprasse

Perguntei
Mas esperei em vão
Ouvi apenas
O vazio do silêncio
A ausência do tempo
A sua negação
...
 
José Gabriel Duarte

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Verdade, verdadinha.

Diz-me o que laikas, dir-te-ei quem és.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Hallelujah


Maravilhoso...

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Centro Histórico de Guimarães - Património Mundial da Unesco desde 2001.
Sem dúvida, um dos Sítios mais bonitas do nosso país:-)

quinta-feira, 13 de abril de 2017

O silêncio é como se fosse água

 
O silêncio é como se fosse água.
Daquela água pura da montanha que se bebe
directamente pelo coração.
 
Jorge Sousa Braga

Às vezes.

[A minha voltou...]

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Livre


Ouvir o silêncio

Às vezes, a única palavra que queremos ouvir, é o silêncio.

terça-feira, 11 de abril de 2017

1987


[Tantas recordações boas! Que saudades desse(s) tempo(s)...]

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Banda sonora da memória

Há músicas onde nos perdemos nas nossas recordações e nos deixamos levar pela nostalgia, numa espécie de banda sonora da memória.

domingo, 9 de abril de 2017

Nascer todas as manhãs

 
«Apesar da idade, não me acostumar à vida. Vivê-la até ao derradeiro suspiro de credo na boca. Sempre pela primeira vez, com a mesma apetência, o mesmo espanto, a mesma aflição. Não consentir que ela se banalize nos sentidos e no entendimento. Esquecer em cada poente o do dia anterior. Saborear os frutos do quotidiano sem ter o gosto deles na memória. Nascer todas as manhãs.»
 
 
Miguel Torga

sexta-feira, 7 de abril de 2017

O meu olhar é nítido como um girassol.

 
O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...
 
 
Alberto Caeiro

domingo, 2 de abril de 2017

O Teu Sol


Springtime

"A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la."
 
Cecília Meireles

segunda-feira, 27 de março de 2017

Do ridículo.

Um dia destes, a ilha da Madeira, ainda vai passar a chamar-se ilha Cristiano Ronaldo.

domingo, 26 de março de 2017

Primavera, é pra ti!


[Quem resiste a esta voz? Eu, não...]
 

sábado, 25 de março de 2017

Marânus

(...)
E, sozinha, de pé, sobre um rochedo,
Disse-lhe um longo adeus.
E, já distante,
Marânus, ansioso, para trás
Volvia a face triste, a cada instante.
E parava, cismando…
Mas, ao longe,

O corpo da Saudade, vago e incerto,
Perdia-se, no ar que se turbava...

Anoitecia. A serra era um deserto.
E Marânus seguia o seu caminho.

Teixeira de Pascoaes

terça-feira, 21 de março de 2017

A poesia não tem presente

"A poesia não tem presente: ou é esperança ou saudade."
 
Camilo Castelo Branco

segunda-feira, 20 de março de 2017

domingo, 19 de março de 2017

Imortal

"A mãe é eterna, o pai imortal."

Mia Couto

Pai.

 

sábado, 18 de março de 2017

sexta-feira, 17 de março de 2017

Respirar

Respiras silenciosamente
Por entre as gotas de chuva,
Por entre as pétalas e línguas de fogo.

Respiras os dias que as aves atravessam
Em pedaços de espanto
Desfeitos pelo bater das asas.
Respiras um país onde o vento arde
Minuto a minuto, a pouco e pouco,
A febre das despedidas.
As primaveras das palavras
Impossíveis de escrever.
Respiras sem te lembrares,
O ar que já foi nosso.

Paulo Eduardo Campos

domingo, 12 de março de 2017

Não me Esperes de Volta


[Em modo Raquel Tavares.]

sábado, 11 de março de 2017

Continuamos a ser gorvernados por pigmeus

Sou professora e gosto de o ser. Não é isso que está em causa. Mas o ensino tornou-se numa estafa tal que, confesso, há alturas em que só me apetece desistir disto tudo. São os cargos, como a Coordenação de Escola (uma carga de trabalhos!); as turmas com dois (e mais) anos de escolaridade; os Planos de Melhoria, as Metas que é preciso atingir... Enfim, os anos passam, os Governos e os Ministros mudam, mas a burocracia é a mesma.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Ne Me Quitte Pas


[Música para a minha tarde.]

domingo, 5 de março de 2017

Broken


[D.M. para aquecer o dia chuvoso e frio.]

sábado, 4 de março de 2017

Ficamos sozinhos...

... quando não mentimos e defendemos as nossas convicções. Ficamos sozinhos quando não seguimos o rebanho. Ficamos sozinhos quando acreditamos em valores como a honestidade, o trabalho ou a simplicidade. Ficamos sozinhos quando acreditamos que as pessoas devem ser julgadas por aquilo que são e fazem e não por aquilo que aparentam fazer e/ou ser. Ficamos sozinhos quando acreditamos que todos devem ser tratados com justiça, independentemente da condição social a que pertençam e/ou da conta bancária que tenham. Ficamos sozinhos, sim, mas em paz com a nossa consciência. E isso é o que realmente (me) importa.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Águas de Março


[É a promessa de vida no teu coração.]

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Poema

"Quando uma fotografia nos sorri, é sempre um poema bem focado."
 
José Luís Outono

sábado, 25 de fevereiro de 2017

O mar pede a (nossa) alma inteira.

 “Há coisas que se podem fazer pela metade, mas enfrentar o mar pede a nossa alma toda inteira. Era o que dizia Jaime. - Quem nunca viu o mar não sabe o que é chorar!”
 
Mia Couto, in "O beijo da palavrinha"

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

7 anos

[Regresso a ti, sempre que te penso. Não há dia em que não pense em ti.]

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

"O beijo da palavrinha"

 O beijo da palavrinha, de Mia Couto, livro recomendado pelo PNL para o 4º Ano de escolaridade, é absolutamente maravilhoso! É impossível não nos emocionarmos com esta história. Eu, pelo menos, emociono-me sempre que a (re)leio aos meus alunos.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Traveling Light


[Good night, good night, my fallen star]

domingo, 12 de fevereiro de 2017

O lugar mágico

"O Céu é o meu lugar mágico. Não por sentir que seja Verdade, mas por saber que é a porta para uma infância onde todos estão vivos."
 
Luís Osório in AMOR

A urgência do agora

Na urgência de sermos agora, o que se pensa para amanhã, é para já ter sido. Somos efémeros. Estamos de passagem.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

sábado, 4 de fevereiro de 2017

[Regresso a ti, sempre que te penso.]

...
Regresso a ti
e tu regressas-me no coração do poema
no silêncio das palavras que nunca fui capaz de te dizer.
 
São Gonçalves

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Forever Young


[May we stay forever young...and wise.]

domingo, 29 de janeiro de 2017

As Três Palavras Mais Estranhas

Quando pronuncio a palavra Futuro
a primeira sílaba já pertence ao passado.

Quando pronuncio a palavra Silêncio,
destruo-o.

Quando pronuncio a palavra Nada,
crio algo que não cabe em nenhum não-ser.


Wislawa Szymborska

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Valsinha


Sai uma valsinha para alegrar o dia (que está a ser tão longo e  chato!...)

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

A solidão é democrática e silenciosa.

"Podemos asfixiar de solidão com gente à volta e uma cama partilhada. E podemos viver tranquilos estando sozinhos. A solidão é democrática e silenciosa."

Luís Osório, in AMOR